Friday, February 22, 2013

Ministério das Relações Exteriores defende-se de gatos

Como "chefe dos ratos", Larry o gato está habituado a andar por Downing Street. Portanto é de entender que tenha ficado perturbado hoje quando viu o seu caminho bloqueado. Parece que o Ministério de Relações Exteriores em Inglaterra tomou medidas drásticas para evitar o seu funcionário do nº10 de entrar no edifício, tendo instalado uma placa para lhe bloquear a passagem.
Larry era constantemente visto apassar pelos ferros para poder entrar (como mostrado na foto). E tanto ele como Freya são conhecidos por gostar de visitar o edifício. 
Mas as visitas destes dois gatos foram cortadas após funcionários se terem queixado destas devido a alergias.
Contudo, uma medida de última hora foi tomada com o instalar da barreira.
O Secretário William Hague pediu hoje para que a barreira fosse retirada. 
O Ministério diz que está a rever se as barreiras foram a melhor decisão contra a queixa dos funcionários. 
Um funcionário disse: " Freya e Larry visitam o Ministério muitas vezes e parecem gostar do edifício. A grande maioria dos nossos trabalhadores parecem gostar de os ver. Alguns que dizem ter alergias levantaram preocupações. Foram tomadas medidas contra estas queixas. Se serão as medidas apropriadas ou não está agora em revisão. E o Secretário pediu para que a barreira fosse retirada imediatamente."
A barreira pôs um travão na carreira do "chefe de ratos" Larry que entrou em acção em Fevereiro de 2011 para acabar com o problema dos roedores em Downing Street. Contudo foram precisos 18 meses para que caçasse o primeiro rato e foi acusado de ser relaxado quando saíram fotos do felino deitado e a ser mimado pelos políticos. 
As coisas mudaram quando Freya chegou em Outubro e se deu uma luta muito pública entre os dois.



Gato luta com crocodilo...e ganha!

Thursday, February 21, 2013

Conheça Lord Nibbler, um gato feliz, apesar de todas as suas doenças

Possivelmente como resultado de consanguinidade, Lord Nibbler nasceu com alguns problemas físicos, sendo o mais óbvio as suas patas dianteiras. Estas estão curvadas num ângulo pouco normal, chamado de contratura do tendão.
Aos 7 meses, quase sem pêlo e coberto de pulgas, Nibbler foi adoptado e a sua dona conta que a anatomia do gatinho já estava desenvolvida o suficiente para parecer que as pernas dele estavam partidas. 
Considerando a sua idade, saúde e mobilidade o veterinário descartou a opção de cirurgia.
Também com escoliose, Lord Nibbler tem a cauda torcida  e muitas vezes a abana como um cão quando está feliz. A escoliose combinada com a condição das suas patas dianteiras faz com que o felino tenha que saltar como um coelho para andar. Nibbler também não mia como os outros gatos e emite um som similar ao de um coelho. A sua dona diz: "Ele tem tantas características de coelho que nós já lhe chamamos 'goelho' ou 'coelho-gato-híbrido'".
Apesar de tudo, o veterinário considerou Nibbler um gato saudável, FIV e FELV negativo e um peso adequado para a sua idade mas o gatinho acabou por apanhar vermes algumas vezes.
"O Nibbler pode parecer uma desgraça mas o que gostei nele foi o facto de ser um lutador. Ele não se faz de vítima. Ele é um gato que come, brinca e dorme. É incrivelmente doce e sociável o que para mim foi uma surpresa. Ajustou-se rapidamente aos nossos dois cães e aos nossos outros dois gatos. Ele ensinou-me uma grande lição de vida: manter a calma e continuar. Não podemos perder o nosso tempo a queixar-nos dos nossos problemas e com preocupações sobre o futuro. Não podemos ter pena de nós próprios independentemente do que a vida nos trouxer. Temos de enfrentar o dia com um sorriso, não porque queremos mas sim porque podemos."

Daisy, a nova sensação da internet

Ela pode ser pequena o suficiente para caber na palma da sua mão mas o que esta gatinha não tem em tamanho, tem em personalidade.
Daisy está rapidamente a tornar-se uma sensação na internet graças a fotos suas publicadas pelo seu dono.
O tradutor australiano de 35 anos começou a tirar fotografias à sua tabby de 11 meses o ano passado na sua casa, que partilha com a sua esposa, Miki, de 32.
O casal, que vive em Tóquio, ficou surpreso com a popularidade das fotos.










Tuesday, February 19, 2013

Aqui há gato

Hoje trazemos algumas fotos de gatos...mas onde estão eles? Veja se os consegue encontrar






Monday, February 18, 2013

Japoneses projectam casa especialmente para vivência com gatos

Designers japoneses desenvolveram o lugar perfeito para um amante de gatos morar, privilegiando a interação entre os gatos da casa e com os tutores.
O apartamento foi projetado repleto de detalhes, especialmente desenhados para os felinos. Isso inclui plataformas elevadas, túneis, abas de passagem em todas as portas, vigas de madeira e áreas que possibilitam uma boa visualização de toda a propriedade.
Até o banheiro possui um espaço especialmente feito para os gatos: a caixinha de areia fica em um local separado, mas ao lado do vaso sanitário do tutor.
A superfície de toda essa engenhoca é à prova de arranhão e fácil de ser limpa.
É o amor pelos felinos até mesmo na escolha de onde e como morar. Já foram realizados testes, e os gatos aprovam.

Fonte: Anda

Gata percorre 320km para voltar a casa

Foram dois meses de luta para achar o caminho de casa, sozinha. "Encontrámo-la no quintal. Mal conseguia ficar em pé. Estava tão fraca e faminta", lembra Barbara Mazzola, que mora a um quilómetro e meio da casa da gata Holly.
Ela perdeu mais da metade do peso e enfrentou perigos que ninguém nunca vai saber ao certo quais foram. "Quem sabe o que ela passou? Nós estamos a falar da Flórida, onde há cobras e jacarés", diz Barbara.
Holly perdeu-se dos donos em Daytona Beach. Saiu do trailer estacionado na parte interna da pista de corrida da cidade. Pode ter-se assustado com os fogos de artifício da festa e ido para uma área mais tranquila.
Jacob e Bonnie procuraram a gata durante três dias. Distribuíram panfletos. Continuaram as buscas de casa. Jacob chegou a perdeu a esperança. "Sabe como são os gatos. ela poderia ter encontrado outro lar", aponta.

Fonte: Fantástico

Friday, February 15, 2013

Mulher viciada em lamber e comer o pêlo da sua gata

Lisa, de 43 anos começou por lamber o pêlo da sua gata de forma a sentir-se mais próxima da mesma. Mas o que começou como uma situação pontual, tornou-se agora uma obsessão. A habitante de Detroit, Michigan, conta que sente a necessidade de comer uma bola de pêlo a cada duas horas.
Lisa explica: "Eu limpo-lhe os ombros, as orelhas, a parte de trás da cabeça e o focinho. Não me envolvo tanto como um gato se envolveria. Não lhe lambo o rabo nem as patas, que entram na caixa de areia. Mas é algo para criar laços e penso que ambas gostamos."
Lisa consome agora três bolas de pêlo por dia. "Só o acto  de mastigar em si é relaxante e reconfortante. O pêlo dela tem uma textura muito interessante, é tão macio e fofo, quase como algodão doce. Às vezes os pêlos ficam presos nos dentes mas basta lavá-los e usar fio dental e eles saem."
A família de Lisa mostrou-se surpresa ao saber da obsessão desta. A sua irmã Andromeda diz: "É estranho. Acho que ela não devia comer o pêlo." 
Mas Lisa não mostra qualquer intenção de parar: "Olho para o pêlo e certifico-me que está relativamente limpo. Mastigo-o um bocado, tiro-o da boca, depois brinco com ele e volto a metê-lo na boca."
A história de Lisa vai ser contada num dos próximos episódios da série "My Strange Addiction" do canal TLC.

Thursday, February 14, 2013

Múmia de gato com 2000 anos encontrada

Quando o dono de um B&B em Cornwall encontrou um gato embalsamado pensou que seria apenas uma antiguidade de mau gosto. Mas após visitar um veterinário para fazer um raio X ao que tinha encontrado descubriu que afinal o artefacto tratava-se de uma múmia egípcia de um gato com 2000 anos.
As imagens revelam os traços de um gato antigo perfeitamente preservado - com focinho, orelhas, coluna e cérebro.
O Sr. Gray, que encontrou esta múmia, diz que o objecto pertencia ao seu pai, Peter Gray, um Egiptólogo. O que ele nunca tinha percebido é que a peça era verdadeira e vale milhares de euros.
O Sr. Gray disse: "O meu pai adquiriu esta peça nos anos 70 como agradecimento de um museu. Tem estado na arrecadação.As ligaduras estão perfeitas e é um item muito interessante. Podia ganhar algum dinheiro mas provavelmente vou doá-la a um museu."
Peritos do Royal Cornwall Museum confirmam que a peça é verdadeira.
Os antigos egípcios mumificavam os seus animais como uma oferta religiosa para se certificarem que estes estariam com eles após a morte.
O Sr. Gray pesquisou e diz: "Muitos mandavam mumificar os seus animais como uma oferenda pós-vida mas quem fazia o trabalho ficava com o dinheiro e enviava panos nas múmias em vez do corpo do animal."
Os gatos eram animais bastante populares no período de 305 A.C. a 300 A.C. pois os egípcios acreditavam que estes representavam a deusa Bastet.
A imagem de raio-X desta múmia mostra o pescoço do gato, que está ainda intacto, o que muito provavelmente significa que este não terá sido sacrificado para os deuses mas sim um animal muito estimado.



Monday, February 11, 2013

Acidente de camião SALVA a vida de 1000 gatos

Foi na semana passada, ao início da madrugada que um camião teve um acidente que embora mau para o condutor foi bom para os seus passageiros. O camião continha 40 gaiolas contendo 1000 gatos que estavam a ser transportados com o intuito de serem mortos e vendidos a restaurantes.
O condutor teve de ir para o hospital e o dono da empresa de transportes apressou-se a visitar o local do acidente para reclamar a sua carga.
Wang Yujing, polícia presente no local do acidente, enviaram um pedido de ajuda para salvar os gatos pela rede social Sina Weibo, o equivalente ao Twitter na China.
As pessoas que socorreram ao pedido acabaram por negociar com o dono da companhia de camiões e pagaram 1192 euros por gato para assegurar a liberdade dos mesmos.

Conheça Chase, a gata sem focinho

Na rede social Facebook, ela é conhecida como Chase no Face (Chase sem cara). Esta alcunha pode parecer estranha mas a verdade é que esta felina não tem nariz, pálpebras e pêlo no focinho. O resultado da aparência de Chase deve-se ao facto de ela ter sido atropelada quando tinha apenas semanas de vida. Um jovem encontrou a gatinha à beira da estrada e levou-a ao veterinário. O rapaz doou algum dinheiro para que Chase pudesse ser tratada e pediu aos veterinários da clínica que fizessem tudo o que pudessem pela gatinha. Chase foi acolhida temporáriamente por Melissa Smith, uma assistente veterinária da clínica.
A perna traseira esquerda de Chase acabou por ter de ser amputado e os médicos fizeram tudo o que puderam para salvar o seu focinho, que tinha sofrido bastante com o acidente. Vários meses e dois enxertos de pele falhados mais tarde a sua família de acolhimento temporário teve de aceitar que a sua gatinha nunca iria ser como os outros gatos mas isso não foi um problema para Melissa.
Smith apenas pensava ficar com Chase durante a sua recuperação mas acabou por adoptá-la permanentemente.
"Ela não tinha dono e eu levei-a para casa para ela poder ter um pouco de atenção extra. Já se passarem 7 anos desde então. Ela é agora a minha gata."
Chase acabou por se tornar uma estrela da internet com 20 000 seguidores na sua página de Facebook. Muitas vezes os seus seguidores mandam presentes e retratos para a gatinha.
Smith e a sua família, que inclui duas crianças de 2 e 3 anos, não dão importância à aparência de Chase da maneira como os outros dão quando a conhecem pela primeira vez. 
A sua dona partilha também histórias da gata no blog Daily Tails of Chase (clique AQUI para aceder). Ela descobriu que muitas pessoas se sentiam inspiradas pela história da gatinha.
Muitos se perguntam se Chase não sente dores devido à sua condição, mas múltiplos veterinários confirmaram que ela não sente qualquer dor e consegue ver bastante bem. Ela ainda produz lágrimas apesar de não ter pálpebras e essa tem sido a parte mais difícil da sua recuperação. A felina necessita de antibióticos ocasionalmente e de gotas para os olhos diáriamente para que os seus olhos se mantenham húmidos. 
"Para além de ter um aspecto diferente, ela é 100 por cento como qualquer outro gato. Corre atrás de moscas, usa a caixa de areia, come comida de gato normal, mia a meio da noite e corre pelas escadas abaixo" diz Smith.


Sunday, February 10, 2013

Visita veterinário por pulgas e é abatida por acidente

Uma mulher de Massachussets, EUA, diz que a sua gata foi ao veterinário para uma desparatização externa e foi abatido ao em vez disso, por acidente.
Colleen Conlon está a sofrer com a perda da sua gata de 8 anos, Lady, e acusa os veterinários de negligência.
O seu filho levou Lady ao veterinário e sem saber assinou papéis para a gata ser abatida pois diz que lhe foi entregue o formulário errado.
Ele diz que aprendeu com o seu erro e que ao levar o seu outro gato ao veterinário este perguntou-lhe o que gostaria de fazer aos corpos de ambos os felinos.
Conlon pensa que o veterinário não teve intenções maldosas mas apresentou queixa à direção de veterinários. 
O veterinário não quis dar entrevistas.

Saturday, February 9, 2013

Gata adopta ouriços

Sonya, uma gata Russa, acolheu quatro ouriços e está a criá-los em conjunto com o seu gatinho.
Veja o video da mamã Sonya e os seus filhotes mais abaixo.

Novo teste de genética determina antepassados do seu gato

O seu gato é um Persa autêntico? Ou será que tem uma mistura de Maine Coon? 
Graças ao novo teste da Universidade da Califórnia você agora pode descobrir.
O Teste de Ascendência do Laboratório Felino de Genética usa uma amostra de ADN do seu gato para determinar a que raças pertenciam os seus antepassados.
Uma vez que o ADN é isolado do cotonete usado para a amostra, o laboratório testa para um polimorfismo de nucleótideo (variação genética) específico e origina um perfil. Este perfil é comparado com uma base de dados global de perfis de gatos para ver com que variação de origem geográfica tem mais em comum.
Em seguida, cientistas comparam os marcadores de ADN que determinam a aparência do felino como a cor do pêlo e o seu comprimento com 29 raças diferentes. 
O perfil de linhagem resultante tem mais de 90% de precisão, contudo a página de internet do laboratório diz que "um gato que venha de raças ao acaso não irá corresponder a raças específicas e resultados de probabilidade baixa não são reportados."
Devido ao grande número de gatos ferais em todo o Mundo, a maioria dos gatos são cruzados ao acaso e não são na verdade uma mistura de diferentes raças.
Contudo, se a relação com uma raça está presente, os donos poderão descobrir que doenças os seus gatos correm o risco de contrair. Para mais, a ancestria do gato poderá determinar a genética do pêlo do felino e determinar que variantes o animal carrega como gene recessivo.
O teste de genoma custa 120 dólares ou 89 euros e pode ser encomendado online. Terá de esperar entre 10 a 15 dias para receber os resultados do teste.
Clique AQUI para se registar e pedir o teste.

Gato torna-se sinaleiro honorário em escola

Todos os dias, sinaleiros de uma escola em Washington recebem a ajuda de um gato preto que 'pica o ponto' sempre à mesma hora.
Sable, de 15 anos, aparece todas as tardes antes de tocar o sino para a saída e vê as crianças atravessarem a estrada.
"Ele vem. Consigo-o ver quando estamos a sair. Ele vem e põe-se em posição" diz uma aluna da escola onde o felino é sinaleiro.
A dona de Sable, Tamara Morrison, assistiu com medo a primeira vez que o seu gato saiu e atravessou a estrada. Desde então, no entanto, Sable tem-se mantido seguro e cumprido o seu dever. 
A chefe de patrulha conta que nem a chuva detém Sable, que recebeu um colete para se tornar membro honorário do grupo. 
"É muito fixe porque sabemos que está sempre lá alguém. Nunca ficamos desapontados" disse outro aluno da escola.

Video: Gato ajuda a organizar roupa suja

Autoridades bielorussas matam gatos à fome

Minsk, Bielorrussia - os miaus aflitos assombram a população à noite.
Eles vêm de centenas de gatos de rua que se encontram trancados em caves pelas autoridades bielorussas, dizem activistas, e estão condenados a morrer à fome.
Autoridades da cidade têm andado a fechar gatos de rua em caves de apartamentos para acabar com os ratos. A consequência trágica é que os felinos são deixados para trás a definhar. 
"Dói-me o coração ouvir estes animais gritar noite e dia" disse Antonina Gayenko de 72 anos, reformada e que alimenta estes gatos através de pequenos buracos que se encontram nas chapas de ferro usadas para selar as caves. "Condenaram-nos à morte por fome e sede".
Elena Titova, líder do grupo de direitos animais Protect Life, diz que a autoritária nação ex-Soviética não tem onde alojar os gatos de rua. Ela estima que 9000 gatos tenham sido mortos nos últimos 3 anos. "Matar os animais tornou-se política do governo. Esta política bárbara pode ser descrita por 'sem animais, sem problemas'. Torna-se mais fácil para o governo matar animais para não ter de construir abrigos"
Na Bielorussia quando vão para o canil os animais apenas são mantidos durante 5 dias e caso os seus donos não apareça, estes são mortos com uma injeção.
As autoridades da cidade dizem que de acordo com a política de saúde da era Soviética todas as caves de apartamentos têm de ser seladas.
"Os gatos e os residentes gritam por umas horas mas depois acalmam-se," diz Alexander Yubkov, um trabalhador que instala as placas de ferro nos apartamentos. Ele diz que se as caves não forem seladas "oficiais aparecem e ordenam-nos a pagar uma multa".
Os residentes já fizeram buracos maiores nas portas para os gatos poderem sair.
"Salvámos cinco gatos que estavam presos," diz Litvinova

Nova Zelândia propõe abater todos os gatos

"Imagine a Nova Zelândia unida com a vida selvagem. Pinguins na praia, pássaros no seu jardim. Imagine ouvir o canto dos pássaros na sua cidade." Estas são as palavras de Gareth Morgan, fundador de uma página na internet que faz campanha para banir os gatos da Nova Zelândia. A página com o nome de Cats To Go apresenta uma imagem de um destes felinos com chifres e tem como slogan "Essa pequena bola de pêlo que tem em casa nasceu para matar".
Morgan não recomenda os donos a matarem os seus animais de companhia mas diz "isso é uma opção". Diz também que as pessoas devem esterilizar os gatos que têm agora e não arranjar outros quando estes morrerem. 
Mas esta campanha não está a cair bem ao país que regista uma das maiores taxas de gatos como animais domésticos no Mundo.
"Eu proponho que o Gareth Morgan não se meta nas nossas vidas," diz Bob Kerridge, Presidente da Royal New Zealand Society for the Prevention of Animal Cruelty. "Não nos prive da companhia que um gato nos pode providenciar tanto individualmente ou como família".
Por milhares de anos, os pássaros na Nova Zelândia não tiveram predadores e 'flouresceram'. Algumas espécies deixaram de voar. Mas com a chegada do Homem e a introdução de predadores como gatos, cães e roedores, extinguiram muitas espécies e colocaram outras em perigo.
Na página de internet de Morgan encontra-se um questionário para saber se os gatos deverão ser banidos do país e ao qual 70% das pessoas responderam que não.
A verdade é que a ciência ainda está por descobrir. Muitos dizem que os gatos ao caçar roedores estão a proteger as várias espécies de pássaros existentes pois estes alimentam-se dos seus ovos.
O blog pessoal de Morgan tem uma campanha separada para angariar 1 milhão de dólares para erradicar os roedores das remotas Ilhas Antípodas, onde estes são apenas predadores.
Em 2011 um estudo realizado na Nova Zelândia mostrou que 48% das famílias do país tinham pelo menos um gato, uma percentagem muito mais alta que em muitos outros países desenvolvidos. Este estudo ditou que a população de gatos no país é de 1.4 milhões.

Caffrey, o gato que vive só com duas patas DO MESMO LADO

Subir árvores, caçar ratos, exibir-se para as gatas...as suas quatro patas foram sempre importantes.
Mas então deu-se a tragédia. Quando tinha 3 anos, Caffrey foi atropelado e perdeu a sua pata esquerda traseira.
Sem preocupações, após uma cirurgia de 4100 euros, o gato persa continuou a sua vida apenas com 3 pernas. Nesta cirurgia a sua pata esquerda dianteira foi cosida pois também tinha sofrido com o acidente.
Nos dez anos seguinte Caffrey fez a sua vida com três pernas mas há 4 meses um tumor maligno apareceu-lhe na pata esquerda dianteira tendo esta que ser então amputada.
Antes da cirurgia o médico veterinário que o seguia pediu opinião aos seus colegas e todos eram da opinião que este não devia prosseguir com a mesma pois o felino não seria capaz de andar e sem andar a sua vida não valeria a pena.
Embora se esperasse que Caffrey passasse semanas a recuperar em casa este não foi o caso. Em apenas um espaço de dias o persa já se conseguia equilibrar. A sua vizinha, uma menina de oito anos, ajudou-o a voltar a andar e lançou uma campanha para o auxiliar. 
E apenas dois meses depois da operação de 4700 euros ele salta de telhado em telhado como qualquer gato. 
"Toda a gente que o vê fica atónita com o que ele consegue fazer" diz a sua dona. "Ele não me parece minimamente perturbado por apenas ter duas patas".




Caffrey com a sua vizinha e melhor amiga Ashleigh de 8 anos que o ajudou a voltar a andar

Wednesday, February 6, 2013

Tigre apresenta pelagem de gato doméstico

Nota: Por norma não colocamos artigos na nossa página sobre os chamados 'primos' dos nossos gatos domésticos mas visto este tigre ter uma curiosidade relacionada com os nossos felinos mais pequenos achámos por bem partilhar.

O magnífico tigre tabby dourado Sapphire é maravilhoso de se ver.
Os tigres tabby dourados têm a mesma coloração que os gatos domésticos tabby mas têm garras e mandíbulas tão poderosas como qualquer outro tigre.
Infelizmente já só existem 30 tigres com esta pelagem e estão todos em cativeiro, tal com Sapphire que se encontra no Zoo de Antuérpia na Bélgica. Pensa-se já não existir mais nenhum tigre destes no seu habitat natural.
Os seus tratadores esperam que Sapphire com os seus fantásticos olhos azuis seja um tigre dedicado às meninas para que possa vir a procriar e manter tigres com pelagem como a sua no planeta.
O primeiro tigre tabby dourado foi descoberto na India há mais de cem anos e os poucos que restam descendem do tigre branco que são portadores do gene recessivo dourado, embora não apresentem essa cor na sua pelagem.

Video: Sapphire - de cria até à idade adulta

Gato mais comprido do Mundo morre aos 8 anos

Stewie, o gato com cerca de 130 cm de comprimento, morreu aos 8 anos após lutar contra o cancro.
O gato da raça Maine Coon cujo nome completo era Mymains Stewart Gilligan morreu segunda-feira às 19:30 na casa da sua dona em Reno, Nevada, EUA.
O Guinness World of Records declarou Stewie, baptizado em honra da personagem de Family Guy, o gato mais comprido do Mundo em Agosto de 2010.
A sua dona Robin Hendrickson levou-o para casa em 2005. "Não havia indicação alguma que ele fosse crescer tanto como cresceu".
O comprimento médio de um gato é de 45 cm mas a Sra. Hendrickson diz que os Maine Coon são os 'gatos gigantes' do mundo do gato.
Apesar de ser conhecido pelo seu comprimento, Stewie era também conhecido por visitar pessoas doentes no seu papel como um gato de terapia. Ele participava também em vários concursos de gatos.
Mas em Janeiro de 2012 foi-lhe diagnosticado cancro após lhe ter aparecido uma massa debaixo do seu olho.
Ele foi submetido a radioterapia e quimioterapia. Os veterinários pensaram que o cancro de Stewie estava em recessão mas o felino acabou por não resistir à doença.
Stewie celebrou o seu 8º aniversário a 29 de Janeiro.
Centenas de fãs deixaram as suas condolências na página de Facebook do felino.

A última fotografia de Stewie

Com 130 cm Stewie conseguia chegar ao balcão da cozinha para ir buscar as suas goluseimas